segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Saudade

Bichito, quem me dera ter-te aqui ao pé de mim para te aconchegar entre as tuas mantinhas... Agora que ganhaste asas e voaste, só posso manter-te aconchegado no meu coração.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

É preciso é saber contornar a Lei

Grandes filhos da p**a!!!!

Ou como costuma dizer um amigo meu:

"Bem ma fodi"

http://www.uc.pt/depacad/mobilidade/Vagas_2010_2011

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Tanto se fala em Liberdade II

Fui ontem assistir ao musical "A Gaiola das Loucas".

Não foi um espectáculo tão envolvente como o "Música no Coração", mas foi muito muito divertido.

Destaco o magnífico desempenho de José Raposo no papel principal, apesar de o corpo de bailarinos ser também excelente.

"A Gaiola das Loucas" faz-nos reflectir sobre o amor, a diferença e sobretudo realça a importância de nos aceitarmos como somos, sem vergonhas nem culpas.

Aqui vai um momento bastante rico do musical: José Raposo interpreta com muita garra "Sou o que sou".



Parabéns!

Mais uma perda na música portuguesa

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Tanto se fala em Liberdade




Quando uma música é excepcional, sê-lo-á para sempre...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Novos amores

Até aposto que a Katyzinha6 não conhece esta maravilha. Se não seria o seu 4º amor a sério. Lol!!!

domingo, 11 de abril de 2010

Essência



Num dia quente de inverno surgiu uma flor no meu vaso. Um vaso pequeno, mas bonito; tinha sido pintado à mão por mim.
Tratei dela regando-a, adubando-a, mas esqueci-me que as flores também precisam de alguém que converse com elas, que as mime; ou seja, que lhes demonstre o seu amor.
Tudo isso foi esquecido.
Num dia em que o Sol raiava, ela parecia a mais bela e brilhante flor que alguma vez eu vira, por isso tratei de a fotografar. Apenas com uma foto se percebia a sua essência. Quem me dera que isso me tivesse saltado à vista, porque na manhã do dia seguinte a minha pequena flor tinha morrido.
Deixou-me apenas uma bela fotografia que admiro sempre que me sinto só.

(09/09/2009)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O atrevimento dos meus neurónios

Descobri também, no momento em que escrevia o post anterior, que os meus neurónios são como o meu joelho: de vez em quando saltam do sítio...

A Filosofia dos Animais

Descobri hoje que tal como eu sou como uma borboleta, os homens são como os coelhos: quando saem da toca saltam para cima de qualquer coisa, quer ela mexa ou não...